quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Acumular doações ou compartilhar conquistas? O que é mais gostoso?


E eu continuo a caminho dos 40 anos, fazendo muitas reflexões sobre a vida. Estes dias, fazendo mais uma das muitas arrumações em meu armário, eu vi outra Nancy. Uma Nancy que conseguiu enfim desapegar-se de do passado. Uma Nancy mais disposta a compartilhar as novas conquistas, do que preocupada em acumular as migalhas de que me sentia merecedora no passado, vou explicar.

Quando olho para o passado, me recordo com muito respeito e carinho da antiga Nancy. Sempre uma pessoa que sentia alegria pela vida, eu queria seguir em frente mas não conseguia, me sentia pesada e atada aos pés por um fio invisível que me prendia ao duro concreto do chão.

Ela era boa de coração, de certo modo muito ingênua por achar que ninguém tinha o direito de magoá-la, só que quando isso acontecia, ela pegava a mágoa e a engolia. E por isso ela que a vida lhe desse coisas para compensar a falta de amor próprio, e implorava o amor do outro, e quando se decepcionava, ela engolia mais mágoa.

E queria de alguma forma ter o sucesso da outra, a beleza da outra, as roupas da outra, o cabelo da outra, e no fundo o que ela queria era ter o bem-estar e a auto-estima da outra, e quando se frustrava, por ver que as coisas materiais dos outros não a preenchiam com bem-estar, ela engolia mas essa mágoa.

E então ela seguiu, queria do fundo do coração se amar, e buscou caminhos e rezou a Deus e teve seu primeiro gesto de gentileza consigo mesmo, e aceitou que era humana, tinha defeitos, que Deus a amava do jeito que ela era, e parou de se sentir culpada por não se gostar, passou a se entender e o mais importante, parou de engolir mágoa.
Ela lutou, sim, passou a vontade para atitudes, enfrentou seu pior inimigo, a baixa-estima, e chorou, sim ela chorou muitas vezes, mas hoje em dia eu vejo como foi importante a minha antiga eu ter passado por tudo que passou....cada trecho do caminho me trouxe onde cheguei hoje, à paz, ao bem-estar, a alegria plena de viver uma vida de gentileza.
Sabe, todo mundo já escutou a historinha da borboleta....o que será das forças de suas asas se ela não se esforçar para sair do casulo? Estamos no mundo pra evoluir, e só evolui quem age, e não quem contempla....

Bom, para vocês entenderem porque tudo isso surgiu dessa arrumação que eu fiz no meu armário, vou lhes contar, que no passado quando eu fazia uma arrumação no meu armário eu encontrava doações... “isso fulano me deu” “essa outra ganhei da beltrana”, nada tinha minha cara meu jeito, mas eu achava que aquelas coisas iam me trazer um pouco do que aquelas pessoas eram ou tinham.

No meu quarto era tudo velho, móveis de pessoas que eu nem sabiam quem eram, uma coisa de cada jeito, e eu não me via em nada. Eu olhava e perguntava quem era eu? Onde eu me encaixava em tudo aquilo? Aí é que estava, eu não me encaixava dentro de mim, no corpo que eu tinha, nas minhas emoções....sempre procurando que coisas ou outras pessoas pudessem tapar o buraco que eu não admitia que existia dentro de mim.

Sabe, eu não me achava capaz de ter as coisas como as outras pessoas, por isso estava sempre me achando merecedora da doação dos outros, então eu não tinha as coisas que eu queria, mas sim o que alguém não ia mais usar....e hoje eu vi que vivia uma vida implorando por migalhas materiais, porque achava que era muita pretensão minha ter uma vida feliz e bem sucedida. E é mais fácil sentar e esperar do que arregaçar as mangas e lutar.

Na verdade eu achava que a vida tinha obrigação de me dar, e não me dava conta do papelão que eu estava fazendo agindo desse jeito, então se alguém falasse que tinha algo que não usava mais pra me dar eu abria um sorriso imenso....não pensava nem se eu iria usar ou não, nem sabia o que era...mas acho que inconscientemente eu pensava: “enfim a vida vai me dar alguma coisa”....
Eu não percebia que eu era assim, e muito menos que eu me colocava numa posição de vítima da vida pois, quantas milhões de pessoas como eu estavam na vida lutando para terem suas coisas??? Porque a vida teria obrigação de me dar???

Além de tudo, eu era egoísta, e o que aconteceu? Eu engordei engolindo todo tipo de sentimento, isso depois de ter lutado e emagrecido 100kgs. Nossa! Olho para trás hoje e vejo como desta vez me enxergar como realmente sou fez 100% de diferença no meu emagrecimento. A gente só emagrece de verdade quando não engole mais os sentimentos que não queremos enxergar, porque senão a gente tira da vista e põe no estômago, e na minha vida de hoje não há mais lugar para isso.

Bom, voltando ao armário, ... antes eu fazia arrumações pra caber direito tudo que eu tinha “ganhado”, e acumulava, acumulava acumulava, se eu abrisse o armário caía tudo. E, além de tudo se me perguntavam se eu tinha algo pra dar para os necessitados eu dizia que não tinha nada....o que não era mentira, porque de meu lá não tinha nada mesmo, e as vítimas nunca tem nada pra dar para os outros elas são as necessitadas.

Hoje olhei para meu armário e pensei, nossa Nancy, que beleza!! Lembro de quando comprei cada peça, de quando usei cada vestidinho pela primeira vez, cada peça tem um pedacinho da minha história. Hoje sei quem eu sou, me reconheço no meu lar, nos meus enfeites, e se ganhei presentes, não é mais porque os outros não iriam usar mais, são novos, mais coisas com minha cara e meu jeito.

E sabe qual é a novidade? Sempre tenho algo pra dar, sempre penso com alegria em além de dar uma peça de roupa, dar todo meu amor pela vida junto com ela, para que quem receba não se sinta uma vítima, para que quem receba sinta um pouco mais de amor por sim mesmo.

Passei de uma acumuladora de doações para uma compartilhadora de conquistas, pois de tudo que dou mando um pedacinho meu,....é como neste blog, em que cada palavra carrega um pouquinho da minha gratidão para com a vida e para com Deus, por terem me ofertados situações e extrema importância para meu aprendizado.

Hoje eu me vejo em mim, me encaixo em mim e posso até espalhar um pouco de mim por aí. Tenho tanto para dar, roupas, palavras, alegrias...e aprendi que estamos onde nos colocamos.

Benditos sejamos todos que lutamos e temos coragem de aceitar que somos seres em evolução, sem culpa, mas com olhos verdadeiros para enxergar nossos defeitos, sem mágoa, mas com fé nos desígnios de Deus, sem tristeza, mas com gratidão a tudo que temos e somos...quanto mais meu coração se enche de alegria, mais meu corpo fica leve.
Trate do seu espírito com amor e viva o sucesso de uma vida repleta de oportunidades!

Um comentário:

  1. Nanny você tá linda!!!
    Fico muito feliz por você.
    Bjo linda!!

    ResponderExcluir